segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Sinto-me só



Na década de 1970, o irmão mais novo de Karl Greenfeld, Noah, tornou-se conhecido por ser portador de um mal até então desconhecido para a maior parte da população, o autismo. Mas foi em 2009, com Sinto-me só, que Karl resolveu contar a história familiar sob a sua perspectiva: a do irmão mais velho.

Com uma crua honestidade, o autor revela a complexa mistura de raiva, confusão e amor que marcaram sua infância centrada em torno da doença. A história de Greenfeld vai além do autismo; é também uma crônica inesquecível sobre o que significa ser irmão, família, e homem.

Preciso te contar uma coisa


Neste romance contemporâneo e envolvente, a autora best-seller na Irlanda, Melissa Hill, conta a história de um jovem casal que terá sua vida abalada pelo ex da moça e os fantasmas de seu passado.
Justamente quando está tudo às mil maravilhas entre Mike e Jenny, Roan Williams aparece de novo em suas vidas. Quatro anos antes, Roan destruiu o coração de Jenny, e, desde então, ela carrega um terrível segredo.
Mas agora que seu antigo amor entra novamente em cena, sabe que terá que confessar a verdade antes que seja tarde demais. É possível que sua relação com Mike chegue ao fim, mas ele é seu noivo e tem direito de saber. Será que o amor entre os dois será capaz de superar essa crise?

Deus existe?



Em 2000, Joseph Ratzinger, então cardeal e hoje papa Bento XVI, e o filósofo ateu Paolo D'Arcais sentaram-se diante de milhares de espectadores para discutir uma provocadora questão: Deus existe?
No centro da discussão, a tentativa de dar um novo sentido às doutrinas do cristianismo, que envolve temas tão atuais quanto polêmicos como o conflito entre a fé e a razão, os valores comuns entre cristãos e ateus, a derrota do comunismo, o papado de João Paulo II, além de assuntos de ordem social e humana, como a solidariedade, a natureza, os direitos civis e o aborto.
Além de uma rica transcrição deste diálogo caloroso, o livro inclui dois ensaios nos quais cada autor expõe sua posição: enquanto Joseph Ratzinger centra-se na crise do cristianismo, Paolo Flores argumenta que a Igreja não abre espaço para o diálogo e destaca as contradições em que essa instituição incorre.

sábado, 26 de setembro de 2009

Livros pop-up












Você sabe o que são livros pop-up?
São os livros com dobraduras que surgem do meio das páginas. São livros que a criança interage com o cenário, conforme viramos as páginas, as figuras sobressaem das folhas.
O livro pop-up já existe desde 1860 e surge ao leitor como algo extremamente motivante e criativo. É concebido para ser manipulado e pode adaptar formas variadas e inesperadas, em 3D.
Ao abrir um livro pop-up você é surpreendido com imagens que “saltam” lá de dentro e que se encontravam dobradas e você leitor pode “brincar” com elas.
É muito comum nos livros infantis, mas os adultos rendem-se também a estes livros verdadeiramente maravilhosos. São, sem dúvida, livros belíssimos que gostamos de partilhar com os outros.



sexta-feira, 25 de setembro de 2009

DECOR YEAR BOOK XV


Para ilustrar as mais de 600 páginas desta edição especial, foram convidados 30 profissionais para apresentar uma retrospectiva da decoração brasileira. O resultado é um painel que retrata toda a evolução da decoração brasileira.

Reunindo cerca de 150 projetos, o 'Décor Year Book Brasil 15' é uma fonte de consulta e aprendizado para os muitos talentos que estão e que estarão por aí, e também para todos aqueles que apreciam a arte de decorar suas casas.

CASACOR KIDS


Pela primeira vez, Casa Cor São Paulo reuniu no mesmo local três eventos simultaneamente: Casa Cor, Casa Kids (em sua primeira edição) e Casa Hotel. O livro Casa Kids São Paulo 2009 apresenta os 15 espaços preparados por 21 profissionais e que formaram esta mostra, focada em famílias com filhos de até 12 anos.
Uma coletânea de ideias de decoração voltadas para as necessidades do público infantil. Para quem não pôde visitar pessoalmente a mostra, o livro Casa Kids São Paulo 2009 é uma excelente oportunidade para conhecer todos os ambientes que compuseram a mostra. Para quem lá esteve, uma chance para rever com calma.

CASACOR 23ª edição



Em sua 23ª edição, CASACOR São Paulo 2009 reafirma a sua posição de maior e mais importante evento de decoração das Américas e segundo maior do mundo, atrás apenas da Feira de Milão.
Neste ano, pautados pelo tema Sustentabilidade, 95 profissionais se encarregaram de criar os 69 ambientes que compuseram a mostra.
Com talento e muita competência, arquitetos, decoradores, designers e paisagistas apresentaram para o público visitante as últimas tendências em decoração e, ao mesmo tempo, revelando toda a sua preocupação com o meio ambiente.
Para quem não pôde visitar pessoalmente a mostra, o livro CASACOR Book Collection São Paulo 2009 é uma excelente oportunidade para conhecer todos os ambientes que compuseram a mostra. Para quem lá esteve, uma chance para rever com calma.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Uma questão de estilo...

video

O estilo Richard Branson de gerir

As 10 lições do maior construtor de marcas


Por que Richard Branson é considerado um gênio da construção de empresas e marcas?
Neste livro, você conhecerá os 10 segredos de liderança e gestão de um dos empresários mais conhecidos e admirados do mundo.
O autor Des Dearlove conta, do alto de sua intimidade com o personagem, os 10 segredos ou recomendações de Branson para quem pretende ser um grande construtor e mantenedor de marcas. Branson recomenda que você provoque sempre alguém maior que você, apesar de ele certamente exercitar essa prática por, na verdade, não achar que exista alguém maior do que ele.

O estilo Jack Welch de gerir

As 10 lições de um dos maiores executivos da história


Neste livro, você conhecerá os 10 segredos de liderança e gestão que imortalizaram Welch.

O processo de gestão de qualquer negócio exige planejamento acurado, cumprimento obsessivo das ações propostas, inúmeras tomadas de decisões a cada dia. E não se pode definir a priori quais decisões de negócios serão boas e quais não serão. Há muitas variáveis e um sem-número de condicionantes; porém, o que este livro nos aponta é que existem alguns comportamentos que melhoram, e muito, o grau de assertividade das decisões tomadas.

O estilo Bill Gates de gerir

As 10 lições do homem que revolucionou a tecnologia


Por que Bill Gates é considerado um empreendedor visionário?

Neste livro, você conhecerá os 10 segredos de liderança e gestão do homem que revolucionou a tecnologia.

Conhecer a maneira como Bill Gates concebeu a Microsoft e a fez crescer parece ser uma boa reflexão para qualquer empresário, executivo ou administrador. Receber essa história de maneira resumida torna-se ideal.

Este livro faz exatamente isto: exprime de maneira concisa a visão de Gates como executivo e administrador.

O poder do Twitter



O que é e como funciona o Twitter? Como empresários, executivos, prestadores de serviços e profissionais em geral podem utilizar essa ferramenta nos seus negócios? Este livro explica como incorporar o Twitter em suas estratégias de marketing.

Ao longo do texto, o leitor:

• conhecerá a origem desse site, seu desenvolvimento como instrumento de mídia social e seu potencial como ferramenta de marketing;

• aprenderá a fazer seu perfil e a obter seguidores, em quantidade e qualidade;

• saberá como divulgar sua marca, atrair novos clientes e ampliar suas vendas;

• verá quais os possíveis tipos de tweets e como escrevê-los da melhor forma possível para que atendam aos seus objetivos;

• aprenderá a gerenciar equipes virtuais.Para melhor aproveitamento do Twitter, a obra oferece ainda um plano detalhado de 30 dias, desde a inscrição no site até seu uso nos negócios

Redes sociais


Redes sociais revela aos empresários e executivos como obter excelência em inovação e atingir os resultados com mais facilidade por meio do uso inteligente das redes sociais nos seus negócios.Rob Cross e Robert J. Thomas trabalharam ao lado de executivos de mais de cem empresas de alto nível e entidades governamentais e, neste livro pioneiro, eles descrevem em detalhes como esses líderes utilizam as redes para incrementar as receitas, reduzir os custos e acelerar a inovação.Redes sociais nos negócios apresenta diversos cases de empresas bem-sucedidas, como Procter & Gamble, Microsoft e Novartis, os quais também ajudarão o leitor a implementar em suas empresas as ideias, estratégias e ações expostas no livro.

Espírito de Empresário


Vivemos uma crise que é ao mesmo tempo ambiental, social e econômico-financeira, oriunda tanto da erosão (ou será falta?) dos valores fundamentais quanto da ambição, do egoísmo e do materialismo desmedidos.

Para o autor, a espiritualidade é uma alternativa, uma vez que oferece muitas respostas para a edificação de um novo tipo de empresário e executivo (e, consequentemente, de empresa e ambiente de negócios).

Ela os estimulará e os influenciará a buscarem valores morais e éticos e, inclusive, a agirem de acordo com eles. O encontro com a espiritualidade também possibilitará despertar o que há de melhor nos homens de negócio, os quais, por sua vez, influenciarão de maneira positiva e construtiva seus colaboradores.

Inteligência mercadológica


O livro Inteligência mercadológica nasceu da constatação de que o atual mercado de trabalho está em rápido processo de transformação, apresentando menor quantidade de empregos formais e maiores oportunidades de prestação de serviços de forma autoempresariada.
Na atividade de consultoria, como um dos pioneiros e mais requisitados profissionais em outplacement e aconselhamento de carreira, José Augusto Minarelli observa a grande dificuldade dos milhares de executivos que passam pelos escritórios de sua empresa (Lens & Minarelli Associados) em se posicionar diante dessa nova realidade.
O autor desenvolve a aplicação do conceito de Inteligência Mercadológica (I.M.) como um dos tipos de inteligência na linha dos trabalhos de Howard Gardner e Daniel Goleman (Inteligência Emocional).
A Inteligência Mercadológica é a habilidade de estar atento e perceber as necessidades das pessoas, fonte inesgotável de geração de trabalho e renda, e, a partir disso, identificar oportunidades que permitam desenvolver serviços e vendas.
O livro se baseia em experiências e situações extraídas da atividade diária do escritório, trazendo inúmeros casos ilustrativos.
O livro é dirigido a:
· profissionais em busca de trabalho ou de mudanças na carreira;
· prestadores de serviços, pessoas físicas, profissionais independentes, autônomos e profissionais liberais;
· jovens profissionais recém-formados, que acabam de entrar no mercado de trabalho.
Ao concluir a leitura desta obra, sem dúvida, os profissionais estarão mais preparados para enfrentar o desafio proposto pelo economista irlandês Charles Handy ao seu filho, que estava se formando: “Procure clientes, não empregos!”.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Assando bolos em Kigali



Apesar dos avanços nas questões femininas, a realidade das mulheres em países marcados por conflitos étnicos e religiosos ainda é bastante dura.
Em Ruanda, país africano que aos poucos se recupera de um genocídio, meninas e mulheres adultas sofrem com a falta de oportunidades para estudar e trabalhar. Este cotidiano é o cenário do romance de estreia da zambiana Gaile Parkin, Assando bolos em Kigali .
A obra é protagonizada por Angel Tungaraza, uma mulher no início da menopausa que muda com o marido e os cinco netos da Tanzânia para Ruanda. A dona de casa logo decide abrir seu próprio negócio para melhorar a renda familiar e começa a vender bolos decorados sob encomenda para a vizinhança, composta em sua maioria por estrangeiros.
Dividida entre questões de ética profissional e fantasmas de seu passado, Angel se envolve na rotina de sua pequena comunidade e atua como um agente de mudança, resolvendo conflitos domésticos, promovendo uniões amorosas e compartilhando segredos.Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas por seus vizinhos, o negócio vai bem - e uma boleira só consegue obter sucesso se as pessoas tiverem motivos para comemorar.
Ao perceber a capacidade de superação daqueles que a cercam, Angel aprende a lidar com suas chagas e a tolerar as diferenças culturais de seu novo país.
Assando bolos em Kigali é um romance leve e delicado que mostra, sobretudo, o poder da mudança, seja física, como a menopausa de Angel; política, como as que se iniciam em Ruanda; ou mais profunda, psicológica e cultural, somente possível por meio da solidariedade entre os seres humanos.

Esplendor da honra



Na corte inglesa medieval, a amável lady Madelyne sofre com os cruéis caprichos de seu perverso irmão, o barão Louddon. Para se vingar de um crime revoltante, o barão Duncan ataca as terras de Louddon com seus guerreiros. A formosa Madelyne foi o prêmio que ele capturou, porém, ao contemplar a orgulhosa e bela dama, ele jura arriscar sua vida para protegê-la. Apesar de seu pequeno castelo, Duncan demonstra ser um gentil cavalheiro. Mas quando, afinal, a nobre paixão domina a ambos, Madelyne se entrega com toda a alma. Agora, por amor, Madelyne enfrentará qualquer coisa, tão corajosamente quanto seu senhor, o poderoso e combativo Lobo.

Uma crença silenciosa em anjos



1939... Em uma comunidade rural da Geórgia, no sul dos Estados Unidos, Joseph Vaugham, de 12 anos, é informado sobre o assassinato de uma colega da escola - o primeiro de uma série de crimes que, ao longo de uma década, vão arruinar as relações naquela cidadezinha.

O passado parece enterrado, mas, cinquenta anos depois, ele se defronta com o pesadelo que abalou toda a sua existência. A trajetória de Joseph Vaugham é marcada por uma sucessão de tragédias pessoais: primeiro, a morte do pai; depois, a tortura, a mutilação e os assassinatos em série de jovens meninas; em seguida, o abismo da loucura da mãe, amante de um vizinho alemão na época da Segunda Guerra.

Uma crença silenciosa em anjos é a história de uma superação - e do que pode ser sacrificado em nome disso. Narrada como uma alegoria sobre a natureza da injustiça, do mal e do preconceito, expõe a claustrofobia característica das comunidades fechadas, e sua intolerância à diferença. É, sobretudo, um romance sobre o poder da vontade do indivíduo diante do pior.

Leia aqui um trecho do livro: http://www.intrinseca.com.br/upload/livros/1ºCap_CrencaSilenciosa.pdf

Um certo verão na Sicília


A Sicília é a terra da berinjela, dos tomates, do azeite, das flores — e do silêncio. Na difícil missão de fazer uma reportagem sobre a vida no interior da ilha, Marlena de Blasi e seu marido chegaram às portas da misteriosa Villa Donnafugata. Dezenas de mulheres vestidas de preto, com tranças em torno da cabeça, trabalhavam, cantavam, rezavam e brincavam numa ensolarada paisagem de torres, sacadas, hortas, campos e colina.
Em Um Certo Verão na Sicília, o casal descobre que a Villa Donnafugata era na verdade um refúgio feliz criado pela proprietária, Tosca Brozzi, para viúvas, mães solteiras e homens sem lar. Tosca instala o casal na villa e fascina Marlena com sua arrebatadora história de vida, contada em sessões diárias debaixo de uma magnólia.
O pai de Tosca a trocou por um dos cavalos do príncipe Leo, quando ela tinha 9 anos. Sua raiva inicial deu lugar a carinho e, depois, amor pelo príncipe. Juntos, depois da Segunda Guerra Mundial, Tosca e o príncipe levaram educação, bem-estar e um novo conceito de propriedade ao vilarejo que dependia das terras do nobre.
No entanto, Leo acabou sendo punido pela Máfia por afrontar a hierarquia secular que mantinha os ricos no conforto e os pobres na miséria. Um Certo Verão na Sicília é um relato emocionante sobre os aromas, os sabores e as tradições, muitas vezes assustadoras, da Sicília.

Guerra sem fim



William Mandella é recrutado no final da década de 90 para combater os misteriosos taureanos. Para viajar até o front, os soldados precisam atravessar portais chamados Colapsares, que causam uma dilatação no tempo, fazendo com que o tempo subjetivo da nave seja mais lento que o tempo "real" do universo. Ou seja, quando Mandella retorna para casa após servir por dois anos, quase três décadas se passaram na Terra. E conforme eles viajam mais longe, maior é a dilatação, passando de décadas para séculos inteiros. Os direitos para a realização do filme foram adquiridos por Ridley Scott.


Z a cidade perdida


Um grande mistério que se mantém há séculos, um fato que produziu manchetes ao redor do mundo,uma busca que leva à morte, à loucura ou ao desaparecimento dos que procuram pela verdade.
Z, a cidade perdida é uma empolgante narrativa sobre o que existe abaixo da impenetrável copa das árvores da Amazônia.
Em 1925, o explorador britânico Percy Fawcett embrenhou-se na Amazônia para encontrar uma antiga civilização, prometendo fazer uma das mais importantes descobertas arqueológicas da história. Durante séculos os europeus acreditaram que a maior floresta do mundo escondia o reino de Eldorado. Milhares morreram nessa procura.
Com o tempo, muitos cientistas passaram a considerar a Amazônia uma armadilha mortal que jamais poderia abrigar uma sociedade complexa. Mas Fawcett passou anos elaborando sua tese científica e embarcou nessa aventura com o filho de 21 anos, determinado a provar que essa antiga civilização — que ele chamou de “Z” — existia. Mas Fawcett e sua expedição desapareceram para sempre.O destino de Fawcett — e as pistas que deixou a respeito de “Z” — tornou-se uma obsessão para centenas de viajantes que o seguiram pela selva impenetrável. Durante décadas cientistas e aventureiros procuraram por vestígios da expedição de Fawcett e da cidade perdida de Z. Muitos pereceram, enlouquecidos ou capturados por tribos hostis.
Assim como as gerações que o precederam, David Grann acabou atraído pelo “inferno verde” da floresta. Sua busca pela verdade e suas revelações sobre o destino de Z compõem o cerne dessa envolvente aventura.Transformado em filme numa produção da Paramount Pictures, Z, a cidade perdida tem estreia prevista para este ano nos Estados Unidos, com direção de James Gray (Fuga para Odessa, Os donos da noite) e Brad Pitt no papel principal.

A tenda vermelha


Na Bíblia, as mulheres ocupam um lugar à sombra, por isso ficamos provados de sua sensibilidade na descrição dos acontecimentos.
Numa narrativa envolvente, Anita Diamant resgata esse olhar feminino e dá vida às personagens bíblicas, recriando o ambiente em que viveram, seu cotidiano, suas provações e suas paixões.
Filha de Jacó e Lia, Dinah - cuja trajetória é apenas sugerida no Livro do Gênese - é a figura central desta trama, que começa com a historia das quatro esposas de Jacó, q quem ela chama de "mães": Lia, Raquel, Zilpah e Bilah. O amor delas e o legado que lhe transmitem servem de apoio durante a fase de trabalho duro da juventude, no ofício de parteira e na vida nova em uma terra estrangeira.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Controle remoto


O universo das séries de TV é fascinante: histórias comoventes, humor, paixões que causam frio na barriga. Para a jovem Daphne Wells esse foi o mundo que a confortou após a morte de seus pais, quando ela tinha 16 anos. Agora, aos 30, ela é a descolada curadora do Museu da Televisão de Nova York, cidade pela qual é apaixonada.Charlie, seu namorado, acaba de lhe pedir em casamento, mas, ao que parece, assistir a um pedido de casamento em sua série preferida, Supermodels, é bem mais excitante. Daphne e Charlie vivem um relacionamento confortável, mas será que a simpática protagonista não merece uma história digna de ser campeã de audiência? Será que o roteiro de sua vida não poderia ser mais emocionante? Quando ela decide ajudar sua irmã mais velha, a ex-modelo e amalucada Billie, coincidentemente o bem-sucedido produtor de Supermodels entra em sua vida, e o que ela pensa ser uma comédia escrachada transforma- se em um divertido e ousado romance.

Cão como nós


Altivo e irrequieto, desobediente e exibicionista, Kurika é um cão esperto, especialista em relações humanas. Com alma quixotesca, ele ladra para despertar a atenção de seus donos para seus desejos e anseios. E mostra-se capaz de alterar sua própria essência, tornando-se um membro da família que o adotou, de características tipicamente humanas. 'Um cão como nós'.

Como tornar sua empresa ecologicamente responsável



Enquanto as questões ambientais se tornam mais urgentes, industriais, empresários e comerciantes se esforçam para entender como a demanda dos consumidores, o acesso mais restrito aos recursos naturais e os altos custos de matéria-prima influenciarão seus negócios. 'Como tornar sua empresa ecologicamente responsável' ajuda o leitor a compreender melhor as questões relativas ao meio ambiente e à mudança climática que geram consequências econômicas, como os gases do efeito estufa e o comércio de emissões de carbono.

Leia aqui o primeiro capítulo: http://www.livrariacultura.com.br/imagem/capitulo/2801496.pdf

A estrada da noite



'A estrada da noite' é a estréia de Joe Hill, filho de Stephen King. Suspense e terror numa narrativa ágil, atual e com humor.

É a história de Jude, um ex-roqueiro nos seus 50 anos, que tem como hobbie colecionar objetos macabros. Seu assistente Danny vê um fantasma sendo leiloado na internet e, a pedido de Jude, o arremata. Jessica, a dona do fantasma, envia numa caixa preta em forma de coração o casaco do morto. O fantasma vai junto e daí começa sua história com Jude, ex-namorado de sua enteada Ana, que, aparentemente, suicidou-se.

Umbigo sem fundo



Casados há quarenta anos, Maggie e David Loony decidem se separar. Vivendo isolados numa casa de praia, afastados dos filhos, os dois anunciam que não se amam mais. A notícia inesperada é motivo para a família se reunir depois de muito tempo, e pela última vez.
Como fantasmas se arrastando silenciosamente pela casa, Maggie e David não amenizam o sofrimento dos filhos com desculpas ou explicações; apesar da dor escancarada, estão convictos sobre o divórcio.
Dennis, o mais velho, inicia uma procura alucinada por pistas que o ajudem a entender os motivos da separação. Passa os dias revirando baús empoeirados, arrastando-se por túneis escondidos pela casa e decifrando cartas antigas trocadas pelos pais. Na tentativa de encontrar respostas para suas angústias, ele se vê obrigado a refletir sobre seu próprio casamento.
Claire, a filha do meio, aceita com calma a separação. No entanto, essa aparente tranquilidade esconde uma mãe temerosa, aflita com tudo que diz respeito à filha, Jill. Os dias na casa da infância servirão para que ela se reaproxime da adolescente.
É o caçula Peter, no entanto, quem melhor representa o lado disfuncional da família Loony — os “Loony Buraco Negro”, em que “cada membro é uma entidade flutuante e separada dos outros membros”. Solitário, ele se considera o “clichê do caçula”, um estranho para o resto da família. Retratado como um sapo, vive numa luta infinita contra a insegurança paralisante.
Escrito quando Dash Shaw tinha 23 anos, Umbigo sem fundo narra com maturidade surpreendente — e uma boa dose de humor — os conflitos individuais e familiares dos Loony, que vêm à tona com o divórcio. Sem complacência, o autor investiga os movimentos mais sutis e os aspectos mais recônditos que tornam único o sofrimento de seus personagens. Com maestria, Shaw utiliza recursos como espaços em branco, variação no tamanho dos quadrinhos e cortes rápidos em cenas simultâneas que dão à narrativa um ritmo que é a um só tempo dinâmico e suave, em que a delicadeza do traço revela cargas máximas de tensão. Ao final, as imagens detalhadas de Shaw mostram que há algo insondável nas relações humanas, como a misteriosa decisão dos velhos Loony que só eles são capazes de entender.

A busca



Em 1933, Hitler subiu ao poder e iniciou uma caçada implacável aos judeus. Com apenas dezesseis anos, Esther é bruscamente separada de seus pais e refugia-se em uma fazenda no sul da Holanda.
Muitos anos depois, em companhia do filho e do neto, Esther visita o lugar que lhe serviu de esconderijo e conta, pela primeira vez, as atrocidades que ela presenciou e viveu durante o Holocausto. Para a protagonista de A busca, remexer o passado é uma forma de encerrar esse capítulo de sua história, ao mesmo tempo em que tenta descobrir o que aconteceu aos seus pais, amigos e ao homem que arriscou a vida para abrigar dezenas de famílias judias em sua fazenda.
Contada de modo claro mas sem perder de vista que se trata de um livro juvenil, A Busca é um abrangente panorama da perseguição nazista e de como as ideias de um homem afetaram de modo tão brutal a vida de milhões de pessoas.
A busca foi publicado originalmente pela instituição holandesa Anne Frank House. À edição brasileira foi acrescido um posfácio do jornalista e escritor Gilberto Dimenstein.

Nanociências


O livro Nanociência - a revolução do invisível mostra como a nanotecnologia representa a promessa da construção de nanorrobôs, a invenção de novos materiais ou o perigo de se criar organismos atomicamente modificados.
Esse livro analisa o processo de transformação de uma tecnologia 'limpa' em algo que utiliza amplamente os recursos naturais, desviando-se de seus principais objetivos. Relata como os interesses políticos e econômicos relacionados sobretudo à indústria bélica (e capitaneados pelos Estados Unidos) desvirtuaram as pesquisas em nanotecnologia.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Mentes Inquietas



Nesta reedição do livro de Ana Beatriz Barbosa Silva, Mentes Inquietas, autora do best seller Mentes perigosas, você entenderá porque pessoas com comportamento distraído, enrolado, esquecido, desorganizado impulsivo, agitado, inquieto, desastrado podem ser portadoras do transtorno do deficit de atenção com hiperatividade (TDAH), popularmente conhecido como hiperatividade.
Crianças agitadas, que vivem a mil como se estivessem plugadas na tomada e deixam pais e professores de cabelos em pé; jovens sonhadores, que constroem castelos de areia e se predem em devaneios sem fim; adultos criativos, imapcientes, desorganizados, impulsivos, que começam vários projetos ao mesmo tempo e não terminam nenhum deles são alguns exemplos retratados neste livro.
Via de regra, os portadores de TDAH são injustamente rotulados de preguiçosos, mal-educados “bicho-carpinteiro”, avoados, irresponsáveis ou rebeldes, mas na realidade possuem um funcionamento cerebral diferente, que os fazem agir dessa forma.
Muitas pessoas com TDA passam a sua vida inteira sem ter a mínima noção de que o problema tem solução e de que precisam de um diagnóstico e tratamento adequados. E ao contrário do que se pensa, eles apresentam grande potencial criativo e intuitivo, muitas vezes com QI acima da média. O grande “x” da questão é canalizar suas habilidades inatas em algo realmente produtivo.


Especial Marcelo Rubens Paiva

video

Marcelo Rubens Paiva sofreu um acidente que o deixou tetraplégico (hoje, com muita fisioterapia, voltou a locomover as mãos e os braços) em 1979 e escreveu em livro a sua história, Feliz Ano Velho, publicado em 1983, que foi traduzido para muitos países.


Seu acidente decorreu de um salto de uma Ponte, na qual fraturou uma vértebra ( 5ª Cervical ) do pescoço ao chocar a cabeça em uma pedra. O livro virou peça dirigida por Paulo Betti e também filme.

Ele estudou na USP e Unicamp. Ganhou os prêmios Jabuti e Moinho Santista.


Trabalhou muitos anos na Folha de S. Paulo e desde 2003 é colunista aos sábados do Caderno 2, do Estadão.

Mostramos abaixo os seus livros:

Feliz ano velho: o livro é um relato verdadeiro do acidente que deixou Marcelo tetraplégico, a poucos dias do Natal de 1979. Jovem paulista de classe média alta, vida boa, muitas namoradas, estudante de Engenharia Agrícola na Unicamp, ele vê sua vida se transformar num pesadelo em questão de segundos.

Leia aqui um trecho do livro:http://www.objetiva.com.br/objetiva/cs/files/images/capas_livros/8573027886.pdf

Malu de bicicleta: Luiz é o protagonista deste romance, o narrador que nos conduz por sua trama lasciva - ele que amava as mulheres, ele que converteu a luxúria em deliciosa obsessão, cultivando o prazer sem qualquer culpa. Um hedonista incorrigível que seduz e atrai os mais diversos tipos de amantes sem, no entanto, criar vínculos ou compromissos. Herói sem caráter, Luiz vai seduzir o leitor ao revelar a doce fragilidade de um romântico inveterado, atormentado pelo fantasma de estar sendo traído pela mulher que ama.

Blecaute: Três amigos universitários fazem uma expedição às cavernas do Vale da Ribeira. Ao explorarem o interior de uma gruta, são pegos de surpresa por uma enchente e ficam presos por três dias. Quando finalmente retornam a São Paulo, descobrem que as pessoas se transformaram em estátuas. A cidade, na verdade, o mundo, foi atingido por algo inexplicável. Os únicos “sobreviventes” são eles. O que aconteceu? O que fazer? É o que se perguntam, atônitos, os personagens da história.

Bala na agulha: Thomaz é um brasileiro que tenta a vida nos Estados Unidos. Ex-garoto de programa no Brasil, agora é um traficante de oportunidade em Nova York. Apesar da atividade de risco, Thomaz se aborrece numa vida sem emoções.

A agitação que tanto queria chega como um furacão, na forma de um recado na secretária eletrônica, e trazendo uma reviravolta de conseqüências perigosas para sua vida. Thomaz passa a ser perseguido e se vê envolvido num brutal assassinato em Manhattan. Acostumado ao submundo das drogas e da prostituição — mas também aos círculos mais requintados —, o jovem precisa escapar de uma grande conspiração que se armou contra ele.

Leia aqui um trecho do livro: http://www.objetiva.com.br/objetiva/cs/files/images/capas_livros/9788573028461.pdf

As fêmeas: Marcelo Rubens Paiva explora, com talento e loquacidade, temas como relacionamentos, culpa, prazer, sexualidade, ressentimentos, mulheres que em seu jogo duplo confundem os homens, mudança de atitude nos tempos de Aids, homens canalhas, homens enganados e mulheres sedutoras.

Leia aqui um trecho do livro: http://www.objetiva.com.br/objetiva/cs/files/images/capas_livros/9788573028560.pdf

O homem que conhecia as mulheres: este livro orienta os leitores pela selva urbana povoada por figuras deliciosamente familiares, como a Pingucinha (aquela garota enturmada, bonitinha, independente e com o fígado prestes a explodir), a Iogue (que faz cursos no Nirvana e tem um namorado viciado em metadona), a Beach Girl (que fuma um beque de vez em quando e namora um surfista que está na Austrália como pedreiro), e a Tarja (que vive à base de Rivotril e acha tudo uma derrota). São 30 perfis cruéis, engraçados, deliciosos na sua exatidão.

Leia aqui um trecho do livro: http://www.objetiva.com.br/objetiva/cs/files/images/capas_livros/8573027878.pdf

Não és tu, Brasil: Fundindo elementos históricos à ficção, Marcelo Rubens Paiva recria o cerco aos guerrilheiros da VPR — Vanguarda Popular Revolucionária, organização de guerrilha comandada pelo ex-capitão Carlos Lamarca —, no Vale do Ribeira, em 1970. O episódio conhecido como a Guerrilha do Vale do Ribeira impôs uma surpreendente derrota aos mais de 1500 homens das Forças Armadas que perseguiam cinco guerrilheiros.

A segunda vez que te conheci: Raul, protagonista desta estória, sempre amou sua profissão - a de repórter de uma conceituada revista. No campo amoroso, ele também sempre soube o que queria. Acontece que a vida tinha outros planos para Raul. Primeiro, ele perdeu sua segunda mulher. Em seguida, um sujeito com metade da sua idade o mandou embora da publicação onde trabalhava há anos. O vazio de sua existência, porém, foi rapidamente preenchido por mini-saias, decotes, batons chamativos, celulares que não ficam segundos sem tocar e moças que passaram a ser as suas 'meninas'. Ele virou o 'homem' delas. Leia-se - o seu cafetão.

Leia aqui um trecho do livro: http://www.objetiva.com.br/objetiva/cs/files/images/capas_livros/9788573029314.pdf

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Espírito Santo

Do co-autor do livro Tropa de Elite - Luiz Eduardo Soares, este lançamento é fiel a uma história real, com trama e personagens cinematográficos.

Quando por acaso um jovem juiz descobre que seus colegas e policiais do mais alto escalão fazem parte de uma quadrilha especializada em mortes por encomenda, ele decide enfrentar o grupo e é assassinado numa emboscada.
Sua morte choca o país, chamando a atenção para a força do crime organizado local e sua proximidade com o poder. Uma missão especial é criada pela Presidência da República para tentar combater estes criminosos.
Fiel a uma história verídica, Espírito Santo revela como a criminalidade colocou um estado de joelhos. Ao mesmo tempo, mostra que contra todas as expectativas a batalha entre a justiça e a barbárie ainda não está perdida.

Sepulcro

Sepulcro, segundo livro da trilogia de Kate Mosse, tornou-se imediatamente um best-seller, seguindo a trajetória de seu antecessor, Labirinto. Alcançou o primeiro lugar na lista do Reino Unido e de vários outros países como Canadá, França e Itália.
Atualmente a autora negocia os direitos de adaptação para o cinema dos dois livros.
Em Sepulcro, duas histórias paralelas estão separadas por mais de um século. Em outubro de 1891, a jovem Léonie Vernier e seu irmão Anatole saem apressadamente de Paris para o Domaine de la Cade, a imponente propriedade da família de sua mãe, próxima da cidadela medieval de Carcassonne. O rapaz corre risco de vida e divide um segredo com sua tia Isolde, que mora no local. Logo, Léonie também terá seu segredo guardado sob a copa das árvores das florestas escuras da região, dentro da sinistra câmara mortuária que ali se esconde desde tempos imemoriais. E cuja chave é um baralho de tarô muito particular, de poder inimaginável.
Mais de cem anos depois, em outubro de 2007, a bordo de um trem recém-saído de Paris, Meredith Martin tem muito sobre o que refletir. O que a leva ao exclusivo Hotel Domaine de la Cade parece ser apenas a pesquisa de uma biografia do compositor Claude Debussy. Mas ela sabe que há mais: o desejo de descobrir as origens de sua família, que parecem remontar à misteriosa região. A velha partitura de piano amarelada e as fotos antigas que foram só o que sua mãe lhe deixou são a única chave de que dispõe. E as cartas, em que até então nunca acreditara. As encruzilhadas que ligam Léonie e Meredith são o grande mistério de Sepulcro. Os antigos enigmas que as cercam - se desvendados - podem levar a um grande tesouro, de serenidade e crescimento pessoal. Afinal, em Carcassonne "nenhum contador de histórias fica sem inspiração e nenhum visitante consegue escapar ao charme, à beleza e ao esplendor de um paraíso natural esculpido pelo tempo", revela Kate Mosse.

O menino do pijama listrado e O garoto no convés















DOIS GRANDES ROMANCES SOBRE A IMPORTÂNCIA DA AMIZADE

O menino do pijama listrado:Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade,Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer.
Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga.Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. "O Menino do Pijama Listrado" é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

O garoto no convés: Em abril de 1789, semanas após concluir no Taiti uma curiosa missão com fins botânicos — coletar mudas de fruta-pão para alimentar os escravos nas colônias inglesas —, o navio de guerra britânico HMS Bounty foi palco de uma revolta de parte da tripulação contra o capitão William Bligh, que acabou deixado à própria sorte em um bote em alto-mar junto com os marinheiros ainda fiéis a seu comando. Sem provisões e instrumentos de navegação adequados, o grupo enfrentou 48 dias de duras provações até alcançar a costa do Timor. O episódio inspirou numerosos livros e filmes. Neste livro, a história da expedição é narrada do ponto de vista de John Jacob Turnstile, um garoto de Porstmouth, sul da Inglaterra, que sofre abusos de toda sorte, inclusive sexuais, no orfanato e pratica pequenos furtos nas ruas da cidade. Detido pela polícia após roubar um relógio, é salvo pela própria vítima do roubo quando esta lhe faz uma proposta: em vez de ficar encarcerado, embarcaria no HMS Bounty para passar pelo menos dezoito meses como criado particular do respeitado capitão Bligh. Turnstile aceita a barganha, planejando fugir na primeira oportunidade. Mas a rígida disciplina da vida no mar e uma relação cada vez mais leal com o capitão transformarão sua vida para sempre. É pela voz desse adolescente insolente e sagaz, mas ao mesmo tempo frágil e ingênuo que o leitor acompanhará uma viagem repleta de intrigas, tempestades instransponíveis, cenários exóticos e lições de lealdade, paixão e sobrevivência. “O garoto no convés” está numa prosa instigante e bem-humorada, que torna esse um romance difícil de largar.


Confira abaixo o trailer do filme O menino do pijama listrado, baseado no livro:

video

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A rainha do castelo de ar - Trilogia Millennium III


Com mais de 15 milhões de exemplares vendidos no mundo, a trilogia Millennium é uma das mais bem-sucedidas séries policiais dos últimos anos, e já conta com uma versão cinematográfica, prevista para estrear no Brasil ainda este ano. Quer seja tratando da violência contra as mulheres, quer seja enfocando os crimes cometidos por magnatas ou pelo Estado, a saga cumpre sua principal missão: a de nos envolver numa leitura absorvente, cheia de mistérios.
Neste terceiro e último volume da série, Lisbeth Salander se recupera, num hospital, de ferimentos que quase lhe tiraram a vida, enquanto Mikael Blomkvist procura conduzir uma investigação paralela que prove a inocência de sua amiga, acusada de vários crimes. Mas a jovem não fica parada, e muito mais do que uma chance para defender-se, ela quer uma oportunidade para dar o troco. E agora conta com excelentes aliados. Além de Mikael, jornalista investigativo que já desbaratou esquemas fraudulentos e solucionou crimes escabrosos, no mesmo front estão Annika Giannini, advogada especializada em defender mulheres vítimas de violência, e o inspetor Jan Bublanski, que segue sua própria linha investigativa, na contramão da promotoria.Com a ajuda deles, Lisbeth está muito perto de desmantelar um plano sórdido que durante anos se articulou nos subterrâneos do Estado sueco, um complô em cujo centro está um perigoso espião russo que ela já tentou matar. Duas vezes. A rainha do castelo de ar enfoca de modo original as mazelas da sociedade atual.
Site oficial: www.trilogiamillennium.com.br

Estive em Lisboa e lembrei de você



O projeto: Tornou-se um lugar comum a afirmativa de que em nosso tempo os amores são descartáveis e de rápida fruição. É fácil reconhecer que, num mundo cada vez menos sólido, os vínculos humanos são mais frágeis e voláteis. E não apenas as ligações são fragmentadas: nós também o somos, com nossas identidades em eterna metamorfose.Esse movimento de incerteza também se reflete na líquida produção literária atual, onde não há movimentos uniformes, manifestos ou modelos a seguir. Se há uma marca que define a literatura do nosso tempo, é a multiplicidade de estéticas e propostas que convivem no mesmo tempo e espaço.

Nesse panorama, surge a idéia de propor a dezesseis autores brasileiros, de diferentes gerações, que escrevam histórias de amor, cada um isolado em uma cidade ao redor do mundo, servindo de cenário e inspiração para suas narrativas. Acreditamos que o conjunto final dos textos formará um rico mosaico literário, retratando em diferentes instantâneos o estado das relações e do amor contemporâneo pelo planeta.

Site oficial:http://www.amoresexpressos.com.br/

A obra: Quando o casamento de com Noemi moça de "ideia fraca" vai pro brejo, evento acompanhado por uma falta de dinheiro, eis que surge uma esperança: Portugal. De posse de umas raspas da herança deixada pela mãe, viaja com a esperança de chegar à terra onde sacos de dinheiro estão à espera de quem não foge de trabalho duro.O que mais estará a sua espera? Isto é o que Serginho irá descobrir em meio às provocações, humilhações e patacoadas próprias do imigrante sem cultura ou recursos.

Blog do autor: http://blogdoluizruffato.blogspot.com/

A mulher foge


Este romance acontece em meio a uma caminhada sem rumo pela Galileia. Por temer receber a notícia da morte do filho, que serve no exército, Orah foge para o norte de Israel, levando consigo Avram, um amigo e antigo amante que conheceu quando jovem no setor de isolamento de um hospital e que, mais tarde, foi torturado pelos egípcios na guerra de Yom Kippur, em 1973. A consequência dessa experiência, para ele, foi uma vida inteira de negação, frustração e niilismo. Para Orah, divorciada e sozinha, restou ser mãe de dois rapazes em Israel, onde os jovens servem no exército durante três anos. Orah não consegue encontrar mais em si mesma a luz necessária para compreender essa realidade e foge.
Mas é na fuga que ela revela sua força. Enfrentar a guerra e o medo; as divisões internas de Israel; o casamento e a separação; o passado e a recuperação de algum sentido na vida pelo encontro com a natureza e com o diálogo. Dentro de uma situação de conflito coletivo e duradouro, como conciliar as preocupações individuais de uma mãe que, afinal, prefere a companhia do filho à missão patriótica? Como manter a causa pacifista, se aqueles que podem atirar contra um filho são justamente aqueles com quem se quer fazer a paz? É no limite de Israel e no limite de si mesmos que Orah e Avram descobrem um ao outro, a si próprios e a sua condição de israelenses irreversivelmente exilados.

No teu deserto


Um jornalista relembra uma travessia do deserto do Saara feita com uma garota quinze anos mais jovem. Durante quarenta dias, o narrador e Cláudia atravessaram as paisagens áridas do continente africano e viveram uma experiência marcante, que vai se projetar por muito tempo na vida de ambos. A viagem aconteceu em 1987 e o narrador se põe a contar a história vinte anos depois. Ele é racional e impetuoso. Ela, impulsiva e imatura, mas também espontânea e encantadora. Eles partem de Lisboa num jipe abastecido de comida enlatada, alguma bebida alcoólica, uma bússola e um mapa militar dos anos 1950.
A princípio marcada pela distância, a relação entre os dois aventureiros se intensifica ao longo da viagem na luta contra o tempo, no enfrentamento da burocracia e da corrupção argelina, na confusão das cidades africanas e no dia a dia de acampamento e improvisos. A intimidade avança para um sentimento amoroso, que nasce da cumplicidade naquela situação adversa: solidão, viagem, silêncio, paisagens inóspitas.Vinte anos depois o narrador descobre casualmente que a moça morreu e decide contar a história desse amor para, de alguma forma, reter a felicidade desse encontro na memória. O romance é um acerto de contas emocionado desse jornalista-narrador para com a memória de Cláudia, de quem ele guarda poucas fotografias, mas numerosas e intensas lembranças

Batuque de cores


Com um itinerário que cobre dezesseis países — Senegal, Mali, Burkina Fasso, Guiné, Costa do Marfim, Gana, Benin, Nigéria, Chade, Etiópia, República Centro-Africana, Camarões, República Democrática do Congo, Zâmbia, República do Congo e África do Sul —, este livro apresenta uma visão sensível e artística da África.Cada dupla de páginas é dedicada a um país. Na página da esquerda, uma imagem colorida, que combina ilustração e fotografia, retrata uma paisagem ou uma cena do cotidiano. Em seguida, Vovô Moussa conta à sua neta, em forma de carta, as lembranças que guarda daquela região, transmitindo também informações sobre ela. Na página da direita, são mostradas uma ou mais peças de arte provenientes daquele país, acompanhadas de legendas explicativas.
Escrito por duas estudiosas da cultura africana, Caroline Desnöettes e Isabelle Hartmann, que também faz as ilustrações, Batuque de cores é um convite para se conhecer a África de hoje.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Noturno


A história do livro começa quando um Boeing 747 vindo de Berlim chega ao aeroporto JFK, vindo de Nova York, e, subitamente, para na pista com todas as cortinas abaixadas, luzes apagadas e o sistema de comunicação em pane. Uma equipe de emergência cerca o avião e observa, incrédula, aquele caixão branco gigante em contraste com o céu noturno. O que se vê lá dentro é uma cabine similar a um túmulo onde todos parecem mortos. O alarme se transforma em terror quando se descobre que este misterioso acontecimento é apenas o primeiro de uma invasão que se estenderá por todo o planeta, uma onda sinistra que ressuscita os medos mais ancestrais da raça humana e dá início a uma sangrenta batalha entre homens e vampiros.
Noturno, o primeiro livro da Trilogia da Escuridão supera as tradicionais histórias de vampiros.

Del Toro conta que queria resgatar o horror das histórias de vampiros e também dar um tom concreto à narrativa, portanto esqueça aquele menino pálido com carinha de bebê que chega apenas a dar um beijo em sua amada. É essa tradição que é retomada na Trilogia da Escuridão, onde o primeiro livro, Noturno, está sendo lançado no Brasil e mostra uma epidemia de vampirismo que se alastra a partir de Nova York.

O que Del Toro e Hogan tentam fazer agora é pular quase 200 anos e voltar às origens sanguinárias do mito. Um purismo que não chega a ser estranho para um personagem conhecido por sua longevidade.

video

Leia aqui o primeiro capítulo:http://i.s8.com.br/images/skins/pecas/livros-nacionais/hotsite/noturno/capitulo1.pdf

Ele não serve pra você


Escritora campeã de vendas, especializada na área de aconselhamento, Beth Wilson ensina às leitoras como se livrar de um relacionamento destrutivo em Ele não serve pra você – Um guia para livrar-se de um relacionamento destrutivo.
Encontrar o amor é o sonho de muitas mulheres. Mas, em nome desse desejo, algumas acabam presas a homens problemáticos e se tornam vítimas de abuso emocional. Ao longo de 14 capítulos, a autora aborda temas delicados, como depressão e medo; descreve as várias formas de controle identificadas em relações doentias e como escapar dessas verdadeiras armadilhas emocionais; fala da importância de confiar nos próprios instintos; e cita as mitologias românticas que podem trazer maus resultados.

Sapatilhas cor-de-rosa


Toda diversão, sacrifício e fascínio do universo do balé ao alcance do público infanto-juvenil. Chega às livrarias brasileiras o quarto volume da bem-sucedida série Sapatilhas Cor-de-Rosa, da italiana Beatrice Masini. Em Na ponta dos pés, Madame Oleska anuncia que a turma de Zoé poderá usar sapatilhas de ponta antes do previsto – uma novidade inusitada que deixa todos em polvorosa. Uma dúvida, porém, aflige mais Zoé do que o mágico momento de calçar a sapatilha e fazer o elevé: será que ela tem mesmo talento para a dança? Somente bailando os olhos na leitura deste gracioso título para descobrir. A coreógrafa e diretora artística Dalal Achcar assina a quarta capa de Na ponta dos pés.

O unitário


Na Europa renascentista do século XVI, o hispano-português Michel Servet, além de médico e teólogo, era um cristão fervoroso. Rejeitava a Santíssima Trindade, crendo em Deus como uma só entidade, motivo pelo qual era chamado – como outros – de “unitário”.
Por tal convicção, foi preso pela Inquisição católica que, fatalmente, o levaria à fogueira. Porém, conseguiu escapar, refugiando-se na Suíça, onde reinava Calvino e seu protestantismo puritano, obscurantista e fanático, tão ou mais implacável que o catolicismo em sua perseguição aos “hereges”. Bater de frente com dogmas religiosos numa época de caça às bruxas não era uma atitude sábia, como logo pôde atestar Servet. Em O unitário – A história de um médico perseguido pela Inquisição, Pedro Puech, um dos mais renomados cirurgiões vasculares do mundo, autor de todos os clássicos científicos do ramo, faz sua estreia na ficção, trazendo, com base em anos de estudo, a trajetória deste personagem fascinante numa novela histórica que segue as pegadas de O nome da rosa.

sábado, 5 de setembro de 2009

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Cães


Descubra neste livro:

O guia ilustrado definitivo: conselhos para entender seu cão e dar a ele o melhor tratamento;

- Orientação completa: saúde, cuidados, primeiros socorros e alimentação por experts;

- Nosso melhor amigo: de lendas a filmes, a relação única entre homens e cães;

- Centenas de raças: identifique e conheça que tornam cada raça especial.

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Cerveja



Descubra neste livro:

- O mundo da cerveja: descubra as cervejas das importantes regiões produtoras e de áreas menos conhecidas;

- Questão de gosto: aprenda por que as cervejas têm gostos característicos e encontre seu favorito;

- Os produtores: conheça suas origens, histórias e processos específicos de fabricação;

- O guia ilustrado definitivo: dicas e informações de especialistas!

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Cinema


No "Guia de Cinema", o historiador e crítico inglês Ronald Bergan desfiou todo o seu conhecimento sobre o assunto. Em suas páginas, o leitor vai conhecer a história do cinema e a forma como os filmes são classificados por gêneros. As 100 obras-primas que nenhum cinéfilo pode deixar de ver? Estão lá. Assim também como perfis de grandes estrelas, uma lista de diretores e filmes, explicações sobre como as películas são feitas e a situação do cinema mundial, da Austrália ao Zimbábue.As produções brasileiras marcam presença no guia. Entre os filmes citados e recomendados pela publicação estão Vidas secas (1963), de Nelson Pereira dos Santos; Central do Brasil (1998), de Walter Salles, e Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles.

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Mitologia


Descubra neste livro:
Deuses e monstros: quem é quem , os principais personagens mitológicos de todas as culturas;lendas de todos os tempos: os grandes mitos com belas ilustrações de épicos de amor, aventura e heroísmo a lendas sobre a criação;histórias do mundo: inclui lendas da mitologia grega e romana e histórias menos conhecidas dos povos da América, Ásia e África;cruzamentos mitológicos: descubra temas e crenças que se repetem em culturas diferentes.

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Filosofia


De onde vem o Universo? A existência de Deus pode ser provada? Viajar no tempo é possível? Qual o modelo ideal para a sociedade? No "Guia Ilustrado Zahar de Filosofia" você vai descobrir como os maiores filósofos da história criaram teorias para explicar grandes mistérios como esses. O leitor vai entender como a filosofia funciona e de que forma seus conceitos podem ser aplicados no dia-a-dia. Vai conhecer os principais pensadores da história e as idéias e saberes que fizeram diferença ao longo dos séculos, da Grécia Antiga aos dias de hoje.

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Música Clássica


Viaje por mais de 1.000 anos de música clássica nesse guia ilustrado definitivo. Uma obra fácil de consultar, que traz a vida e obra dos grandes mestres, desde os cantos medievais a sinfonias contemporâneas. Na apresentação, oferece um panorama geral da música clássica: seus elementos, instrumentos e formas de execução. De maneira didática, mostra a trajetória da música clássica dividida por períodos, da música antiga à moderna.

Guia Ilustrado Jorge Zahar - Vinhos


Fotografias, mapas e imagens dão um sabor especial a esse belíssimo guia ilustrado. Elaborado para o leitor brasileiro aproveitar ao máximo tudo o que os vinhos do mundo têm a oferecer. Da África do Sul à França, passando pelos vinhedos do Brasil e da América Latina, uma equipe internacional de especialistas elaborou um guia com dicas, curiosidades e informações completas sobre cada região, suas cepas, vinhedos, produtores e vinhos. Quem aprecia um bom vinho vai encontrar nesse guia um prato cheio para sua degustação. A obra - cuja edição foi adaptada para atender às necessidades do leitor brasileiro e recebeu a consultoria de Paulo Nicolay - contextualiza o vinho histórica e culturalmente, mostra os principais países produtores e apresenta análises detalhadas sobre características e sabores de centenas de vinhos, as melhores safras e quem as produz.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A invenção do ar

Esta é a biografia de Joseph Priestley, um dos grandes personagens da história da ciência que, entre outros feitos, descobriu que as plantas produzem oxigênio e consomem gás carbônico.

O autor faz o link entre inovações do passado e revoluções do presente. Essa é uma saga que vai do interior da Inglaterra aos recém-criados Estados Unidos; de experimentos feitos na pia da cozinha a multidões enlouquecidas destruindo laboratórios; da celebração de um homem como cientista à sua execração como teólogo.
O autor integra aqui a vida e os feitos do pensador britânico Joseph Priestley em uma história. Gramático, divulgador científico, químico, físico, inventor, teólogo, teórico político, grande amigo de Benjamin Franklin e referência espiritual de Thomas Jefferson, Priestley - segundo o autor - é 'a coisa mais próxima de um herói'. Ao descobrir que as plantas consomem gás carbônico e produzem oxigênio, esse 'herói' do século XVIII não apenas ajudou a 'inventar' o ar, como mudou a nossa forma de viver e pensar.